Inteligência Social







Inteligência Social
Há duas décadas atrás se acreditaInteligência Socialva que a inteligência poderia ser medida, e para isso era usado um teste de QI, esses testes serviam para medir o grau de inteligência inata de um indivíduo. Logo, quem tinha um resultado maior nesse teste era considerado mais inteligente.

Muitos psicólogos e psiquiatras começaram a se perguntar as razões pelas quais muitas pessoas que tinham um QI baixo eram mais bem sucedidas do que as de QI alto. Essa diferença era observada inclusive, entre irmãos. Muitas vezes o irmão de QI mais baixo era mais ativo e bem relacionado com as outras pessoas do que o irmão de QI mais alto. A partir disso o mito de que a inteligência poderia ser medida por números foi caindo.

As habilidades das pessoas foram sendo observadas e divididas até que chegassem as que conhecemos hoje: a inteligência linguística, a aptidão para se expressar oralmente e de forma escrita, a inteligência lógica, aptidão para a matemática e lógica, inteligência motora, noção de espaço e expressão corporal, inteligência espacial, aptidão para desenhar, inteligência musical, aptidão para a música, inteligência intra pessoal, percepção das vontades das pessoas, e inteligência inter pessoal, aptidão para a liderança.

Todas as pessoas têm estes tipos de inteligência, mas há sempre uma que se sobressai. Todos nós temos a inteligência lógica, mas muitos de nós não nos damos bem com problemas matemáticos. Todos nós temos a inteligência sentimental, mas nem todos sabem lidar muito bem com os sentimentos. Além da nossa capacidade inata, podemos adquirir outras habilidades ao longo do tempo.

Nossas inteligências trabalham em conjunto com as inteligências dos outros, pois vivemos em uma sociedade. Todas as habilidades são importantes e se completam. Mas para administrar essas capacidades e entender suas diferenças é preciso desenvolver a inteligência social.

A inteligência social nos ajuda a administrar os nossos sentimentos e compreender os outros. Se todos nós aprendêssemos a importância dela viveríamos muito melhor. A função da inteligência social é conhecer a nós mesmos, captar as necessidades do outro, respeitar e querer aperfeiçoar nossos relacionamentos na sociedade e não somente no trabalho ou na família. É uma habilidade que engloba muitas outras que todos nos deveríamos aprender e praticar.

Empatia

Se quisermos ser compreendidos, precisamos compreender.


A empatia é a habilidade de se colocar no lugar de outra pessoa em diversas situações, captar seu estado de espírito, estar ciente do que o outro está sentindo e pensando, é estar na pele do outro.

A empatia pode ser sentida quando nos despimos dos preconceitos e olhamos uma pessoa com igualdade, levando em conta somente o que percebemos, não a condição em que a pessoa esta e nem quem ela é. Como uma criança que só é capaz de julgar pelo que sente, que não vê condição social, raça ou religião.
A Empatia
Só é possível ter empatia se prestarmos atenção no outro, se deixarmos a superficialidade de lado e nos interessarmos no que a pessoa sente, sem intenção de julgá-la ou questioná-la. Não é necessário concordar, mas sim entender seu ponto de vista. Ter consciência de que todos nós temos valores, defeitos e acima de tudo qualidades. Encontrar dentro de si a situação vivenciada pelo outro.

Uma pessoa com empatia é alguém que sabe ouvir e observar, é alguém atento e interessado, que inspira confiança e é capaz de se sintonizar com outras pessoas. Aquele que ouve está em constante aprendizado, se comunica bem, conhece melhor o ser humano e seus conflitos. Tem a capacidade de identificação com o próximo.

Essa identificação é feita usando como referência nossos próprios sentimentos que vem á tona, sentimentos e experiências conhecidas em diversas situações da nossa vida, desde a infância. Essas lembranças ficam guardadas dentro de nós e despertam quando captamos o que a outra pessoa sente. Portanto, para se identificar com o outro é preciso primeiro conhecer a si mesmo. Se não temos o mínimo de conhecimento próprio é impossível compreender os outros.

Sentir empatia por alguém não significa estar totalmente envolvido com o outro, ser absorvido pelos seus problemas e nem sentir piedade. É possível entrar em contato com o outro sem se afastar de si mesmo, a intenção é conhecer a pessoa e não se fundir com ela. A empatia tem uma enorme importância nos relacionamentos, muito mais do que pensamos, sem ela a vida seria muito difícil, seríamos seres frios, sem compaixão, caridade nem respeito ao próximo.

Com a vida agitada de hoje o "cada um com seus problemas" é cada vez mais usado, o individualismo cresceu muito, e muitas vezes estamos tão fartos com nossos problemas que sequer queremos ouvir os problemas dos outros, mas sentimos a necessidade de ter uma pessoa que nos ouça e nos compreenda.

A empatia é a característica principal para a inteligência social, pois ela vem acompanhada pelo respeito e consideração pelo próximo.


Menu Principal
Inteligência Social
Gerenciando Emoções
O Autoconhecimento
A Vida em Sociedade
O Respeito
A Liderança
O Otimismo
A Resiliência
Fale Conosco
Mapa do Site